24 de jun de 2009

Atrasada na conversa...

Bom... vamos lá.
Fiquei alguns dias sem falar o que andei fazendo...

Assisti Cartas de Iwo Jima. Mas foi só na noite de segunda-feira.
Ele tem uma cara de documentário que A Conquista da Honra não tem.
Apesar de usar muitas cenas em comum, afinal, são os dois lados de uma mesma guerra, mas cada filme trazendo a visão de um dos lados, Cartas... tem cara de documentário por causa dessas cenas de pesquisadores procurando vestígios e que, enfim, encontram as cartas que dizem tudo aquilo.
Engraçado que, mesmo sendo brasileira, essa coisa de ser descendente de japonês acaba influenciando.
Assisti o filme e fui reconhecendo a todo momento questões como a hierarquia, obediência, respeito, patriotismo, superstições e mais um outro tanto de coisas que realmente, os japoneses "levam muito a sério".
Banzai! Banzai! Banzai!
E... sim, no período da guerra, o imperador era realmente sagrado. A devoção do povo era enorme. As pessoas davam suas vidas por qualquer coisa que o imperador falasse.
Talvez hoje não haja mais tanta devoção. Mas o imperador ainda tem um tanto daquela "aura divina" para o povo.



Andei fazendo mais origamis.
Essa coisa cansa pra fazer, mas quando termino, sempre é essa alegria para os olhos.
Cores. Muitas cores. Vibrantes.

Guararema resolveu divulgar a cidade e ocupou muitas páginas de um guiazinho turístico.

Com direito a fotinho lá de cima do morro, dando uma visão geral do centro da cidade.
Eu ainda acho que deveriam montar um mirante com um restaurante lá em cima.
Seria turisticamente muito bom pra Guararema.
;)

E por falar em turisticamente, estas são fotos da Pedra Montada, que fica lá em Guararema.
Foram distribuídas em folhetinhos que no verso trazem uma lista de lugares interessantes pra ir na cidade.
Ficou com cara de flier. Mais um pouco e eu teria meu primeiro cartão postal de lá. Bateu na trave. Era só deixar um espacinho pra que eu pudesse selar e escrever o endereço do destinatário (4 linhas e um quadradinho é pedir muito?). Uma pena.



Estes últimos dias foram corridos e cansativos.
Minha mãe me estressando com o trabalhinho porcaria da faculdade dela...
Imagine o que fazem 5 pessoas na pós-graduação de Arte Terapia quando não sabem traduzir um texto extremamente simples do Espanhol para o Português, não sabem pesquisar imagens no Google, não sabem montar uma simples apresentação no Power Point... (quando falo simples, quero dizer simples mesmo, do jeito mais simplezinho que qualquer um é capaz de fazer) e pior ainda, não sabem se comunicar. Nem por telefone, nem por celular, nem por email.
E estava me dando nos nervos, porque fui eu quem traduzi o texto, fui eu quem pesquisei as imagens, fui eu quem reparou que eles não sabiam sequer escrever corretamente em Português.
Fiquei abismada com a quantidade de erros de grafia, concordância... erros de tudo. Até de tabulação, sublinhado e organização de tópicos. Aliás, aquilo era uma desorganização de tópicos.
Me neguei a corrigir aquilo. Eu teria que praticamente fazer outro ppt novamente.
Não fiz. E o pior eu fiquei sabendo hoje: a professora aceitou o trabalho do jeito que estava.
Argh!
Não é à tôa que a educação desse país tá uma merda.
Como pode (?) pessoas que já passaram pelo ensino fundamental, médio e pela graduação, chegarem na pós-graduação sem saber escrever direito? Sem saber o mínimo de ABNT/NBR para normatização de trabalhos acadêmicos? Caaaara... que vergonha eu tenho do ensino do meu país.
Pessoinhas ignorantes do mundo que as cerca.

Eu fazendo ao mesmo tempo, pesquisa do material que eu tinha que levar do roteiro de Itu.
Fuçando diversos sites... Livros... Guias...
Revirei até árvores genealógicas pra poder explicar melhor o nome de uma praça.
E consequentemente encontrei ótimos livros digitalizados em pdf de estudos historiográficos que já baixei para continuar revirando-os depois. Material do período colonial brasileiro.
Very good!
:)

Fui no Salão São Paulo de Turismo, um evento dedicado à divulgar algumas cidades do estado de São Paulo.
(foi de lá que vi o guia com material de Guararema... huahua)
Fui sexta-feira à noite.
Como passei o dia pesquisando conteúdo pra viagem à Itu, só consegui sair de casa no fim da tarde e cheguei lá no Centro de Eventos São Luís quando já anoitecia.
Tava vazio...
A recepcionista morrendo de frio no balcão em frente à entrada. Tadinha.
Logo no primeiro stand, sorrisos.
O stand de Cotia trouxe o pessoal do Templo Zu Lai. Conversa tranquila e amistosa.
Eu que já estava com vontade de conhecer o templo, agora com certeza irei.
Me convenceram. Huahuahua...
Pelo menos já sei como ir pra lá.
Nos outros stands não foram muito diferentes. Todos muito simpáticos e atenciosos.
Fico com vontade de pegar o ônibus e cair na estrada pra ir conhecer todos esses lugares supimpas.
(mas não estou nadando em dinheiro... ainda.)
Voltei pra casa com uma sacola com alguns folhetos, vários mapinhas (muito úteis pra mim, guia de turismo) e alguns cartões-postais pra minha coleção.
:)

E no domigo fui pra Cantareira.

Eu posso estar estressada, fula da vida, surtando, o que for...
Se existe alguma coisa que acalma minha alma é ir fazer uma trilhazinha na Cantareira...
Volto cansada. Capoto de sono. E quando acordo, estou mais zen do que o Buda iluminado.
Então é possível ver na minha cara de pessoinha cansada um sorriso sincero.
Essa Cantareira tem um efeito mágico na minha vida.
:)

E segunda eu li todo o material que pesquisei pra minha parte do roteiro de Itu e escrevi o texto que eu tinha que entregar para apostila da viagem.
Agora só tenho que estudar a apostila toda. Simples, né?

O guia só tem que saber todos os procedimentos técnicos, dados dos atrativos turísticos, telefones, valores, formas de pagamento, tipo de comida que servem, se pode ou não tirar fotos, se precisa agendar para grupos grandes, quanto tempo vai demorar a viagem, se o hotel está pronto para receber os turistas... assim... de cabeça.
Tenho que estudar a apostila porque durante a viagem serei avaliada por um trecho que vou assumir como guia do grupo. E terei que falar e fazer o que for necessário, sem direito a consultar qualquer coisa.
Tem que sair tudo da memória...
:P

Mas acho que vai dar tudo certo.
Não é a primeira vez que faço isso.
Nem a última...



E uma foto nada a ver: quando estava indo tomar o ônibus pra ir pra Serra da Cantareira no fim-de-semana, passei por esse carro que foi queimado no meio da rua. Perto da Av. Mazzei, saindo do metrô Tucuruvi, indo em direção ao Carrefour da Av. Tucuruvi.
Achei estranho e cliquei.

Um comentário:

Joao disse...

valeu a sugestão!!!
agora vc terá 5 opções de postais de Guararema.
A Prefeitura e a Secretaria de Turismo criaram 5 cartões postais - Parque da Ilha Grande
Recanto do Américo
Pedra Montada
Estação
e Igreja da Escada
e mais é gratuíto e so retirar na Secretaria de Turismo (11 4693 1432) ou no CAT Centro de Atendimento ao Turista - em breve!
Valeu!!!
João Augusto da Silva