17 de abr de 2009

Dando um tempo.

É isso.

Tem horas que surto.
Mas costumo ficar calada.
Quieta no meu canto.
Sumo por uns tempos.

Dessa vez preferi não fugir.
Tou aqui.
É uma merda só.

É como dar murro em ponta de faca.
A gente só acaba se ferindo mais.

A verdade é que não tenho muitos amigos e muitos tão se lixando pro que acontece comigo.
Aquele tipo de gente que fala que é amigo, que tá lá pro que der e vier mas na hora, tá sempre ocupado, não estava sabendo ou simplesmente finge que não viu.
Cansei dessa coisa de ficar tentando ajudar quem não merece.
Cansei disso tudo.
Vou dar um tempo no meu blog.
Só vou atualizar o Consumo Diferenciado.

Vou sumir por uns tempos.
São 8 anos de minha vida aqui, um livro aberto pra quem quiser ver.

Vou dar um tempo porque quero ter o que escrever pelos próximos anos.
Algo de interessante a escrever.
Chega dos #mimimis.
Quero poder dizer que fiz algo legal no dia.
Que viajei, que assisti um filme muito legal, que fui passear, que encontrei amigos, enfim, que fiz algo de bom.
Não quero ter que vir aqui falar que estou estressada, mal ou qualquer outra coisa do tipo.
Parece que meu blog virou o muro das lamentações...

Aos que visitam, obrigada.
Aos que esperam novidades, aguardem.
Podem deixar email nos comentários e mando aviso quando atualizar.

Espero voltar com boas novidades.
Grande abraço e até mais.

Vou viver.
Vou ser feliz e já volto.

Consegui.

Parei de assistir os omedicasts.
Cansei.
Terminavam muito tarde.

Nesta quinta consegui um feito inédito este ano: consegui encontrar minha melhor amiga Deza.
Tava difícil.
Mas dei um "pára tudo!" e fui papear com ela.

Aliás, o "pára tudo!" foi pra tudo mesmo.
Esta semana eu não fiz nada.
[preciso ver algumas pendências com os brothers...]

Consegui conversar com alguns conhecidos.
Fazer umas trocas de cartoes-postais pendentes.
"Sair da minha toca"

Precisava disso pra respirar.
Sentir o oxigênio entrar nos pulmões.
Abrir os olhos e voltar a enxergar.

Enxergar o que não estava vendo há muito tempo.

Se até minha mãe notou, é porque a coisa tava pra lá de gritante de óbvio:
Eu não tenho vivido estes últimos tempos.
Não saio.
Não vou às minhas exposições de artes favoritas.
Não vou fazer minhas trilhas.
Não toco violão nem canto.
Não vou à biblioteca ler meus livros.
Não vou ao cinema.
Não tenho feito nada além de estudar e atualizar um blog.

O blog é coisa fácil.
Em menos de uma hora eu tenho conteúdo pra mais de um dia.

A faculdade foi me matando aos poucos, até não sobrar mais nada de mim.
Minha mãe disse que não tenho me divertido com nada.
Estou doente.
Estressada.
Estou com síndrome do pânico.
Não consigo sair de casa sem ter um sintoma.
Passo mal.
Cai a pressão.
Dor de barriga.
Dor de cabeça.
Dor nas costas e pernas.
Fraqueza.
Tristeza.
Tenho depressão.
Tenho chorado toda noite. Com ou sem motivo.
Tristeza sem fim. E sem motivo.
Imagine só chorar como se sua mãe tivesse morrido. Minha mãe não morreu. Mesmo assim eu choro.

Minha mãe perguntou se eu quero ajuda médica.
Acredito que não preciso de ajuda médica.
Só preciso viver.
Preciso fazer o que gosto.
O que gosto?

Um pensamento curioso que tive esses dias...
Quando criança, eu me imaginava uma adulta bacana, inteligente e simpática.
Desde os 5 anos eu sonhava em ser arqueóloga.
E quando me tornei adulta [28 anos eu tenho que me considerar adulta. não mais adolescente...] o que eu fiz?
Nada do que idealizei.
Pior.
Fiz coisas nunca antes imaginadas.
Me perdi.
Não sei o que quero ser de agora em diante.
Não sei o que sou agora.
Não sei o que fui até agora.

[hoje só tou #mimimi]

Espero virar a página.
Superar esse momento angustiante.
Me levantar e seguir em alguma direção.
Quem sabe não acerto dessa vez?

13 de abr de 2009

I love you baby

Passei a noite assistindo "10 coisas que odeio em você" e vou passar o resto da semana pensando nessa música, nessa versão cantada pelo maravilhoso Heath Ledger...


O filme é bobinho... daquelas velhas versões "garota gata borralheira se transforma na pessoa mais adorável possível"... Mas me identifico com a garota chata... huahuahua... Só falta o cara apaixonado igual ao Heath Ledger e que cante bem assim... huahuahua...
Quem sabe essa seja a motivação pra deixar de ser chata???
E mais atraente?
[o.O]

11 de abr de 2009

lá vem as provas...

... e também meus mimimis...

Ultimamente ando me amando mais.
Isso é bom: fico tirando fotos minhas.
Não estou sendo narcisista.
Não sou só EU... EU... EU...
É só uma coisa de se gostar mais.
:)


E olhe quem estava todo animado no OMEdI Cast de terça pra quarta?
A empolgação vai indo embora e no fim da madrugada, já está com cara de zumbi e só resta passar o clipe "Volare" pro povo ir dormir lá pras 3h e tantas...


Uma lua redonda iluminou meu quarto nestes últimos dias...
Altamente luminosa.
Não consegui tirar foto menos luminosa com meu celular...


Ah! Os pasteizinhos de salsicha!
Antes fervi a salsicha já picada em 3 partes.


Aí é só fechar a massa.
E fritar.


Ficam assim.
Gostosinhos.



Só de pensar que terça agora tenho prova de matemática, já vai dando aquela agonia...
Nhé!
Estudar, estudar, estudar.
Tem que dar tudo certo.
Tenho que decorar trucentas formas de matrizes e derivação e pans e tals... :P

I will survive.
Sempre.

Um tanto cansada.
Semana correria. Mal consegui atualizar o Consumo Diferenciado.
[Jeremias não me ajuda]
Muita coisa pra ler.
Feriado não serviu pra muita coisa.
:/
Podia ter 2 meses de férias por ano, ao invés de só no meio do ano, não?
Muito stress, povo...

Quero abraço.
Tô carente.
:(

7 de abr de 2009

Continuo dobrando

Continuo dobrando os papeizinhos...
Parecem intermináveis...
O trabalho é repetitivo e cansativo.
Dá dor nos pulsos e dedos por ficar dobrando detalhes tão pequenos.
Grande não tem a mesma graciosidade quando pronto.
O caixa tá enchendo muito devagar.
Medo de não ter a grana no fim do ano.
:(
Só torcendo pra tudo dar certo.

6 de abr de 2009

Puta da vida

As últimas fotos:

O tal caramujo red ramshorn. Esse é o mais velho da turma. Já tá grandinho... Já esse em cima da pedra é um dos nanicos. Tem só alguns milímetros... [ao fundo, 2 dos 3 neons que tenho]
Fotos do Castrezana no OmediCast de sábado (04/04/09) pro domingo (05/04/09)
Com a participação da Isabela Silvino [@isabelabela]
Chaveirinho que ganhei da minha mãe: é o robozinho da Honda. Ele só parece um playmobil... não se mexe. É uma peça inteira de borracha. :( Mas é bunitinho. :)
Mais uma foto do Castrezana, no OmediCast da noite do domingo (06/04/09) pra segunda (07/04/09)
E os meus tempurás de abóbora japonesa:
Preparando...
receita da massa: 1 xícara de farinha, 1 ovo, 1 pitada de sal e água fria até ficar na textura de mingau mole.
E aqui, já pronto.
Hoje acordei puta da vida.

Passando mal.
Dor de estômago até a alma. Azia do cão.
Só me restou desligar o celular e dormir.
Perdi a prova de Microeconomia.
Grande coisa... Oh! Blablabla mixaria na média...
Bom... não consegui estudar decentemente.
Uma grande merda.
Ainda estou com um tanto de dor de cabeça.
Aquela sensação DE SACO CHEIO DE TUDO.

Ando numa mistura de tédio com inquietação.
Aquele momento que antecede a idéia genial.
Aquele BOOOMMM! que resolve praticamente todos os problemas...
Não há momento mais agonizante que esse...
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHH!!!
Que saco.

Não aguento mais passar mal por causa de comida.
Ficar irritada por causa de coisas pra fazer da faculdade.
Preciso meditar.
Me encontrar.
Rever e deixar bem nítido e claro o objetivo.
Tomar um rumo mais definido.
Concentrar forças.
Estou dissipando muitas energias em vão...
Muito blablabla e poucos resultados.

FOCO, Uedinha!!!
FOCO!
Aliás, ando precisando é também de foco nas minhas fotos... Huahuahuahua...
Vamos ver o que acontece essa semana.
Essa promete.

3 de abr de 2009

+ fotos e novidades

De vez em quando, adoro ficar brincando com os efeitos das câmeras digitais.
Efeito mais "da hora" é o negativo sobre madeira.
o.O




Bacião de pipoca na outra sexta, que minha mãe chegou cansada e sem fome.
Ela só queria pipoca.
Huahuahua...





Eu em mais uma fotinho "quando o sol bater na janela do seu quarto"...
Sol forte às vezes não colabora pra foto.





É temporada de orquídeas aqui em casa.
Essas roxinhas dão "à rodo"...
Laelia sei lá o quê.
Fugi dessa aula.





Essa que nunca deu flor em casa também resolveu aparecer.
É bem comum, mas difícil de se cuidar em casa.
Normalmente pedem uma estufa ou orquidário.
[Fácil comprar já florido, mas difícil fazê-la florir novamente.]



Aqui, os vasos no corredor de casa.
Eu não chamo isso de estufa porque não é.
Nem orquidário porque também não é.
É só um corredor com cobertura de tela.
Ajuda a não bater sol direto e protege da geada no inverno.

Fiz um buquê de orquídeas para minha mãe levar à minha vó. [mãe do meu pai e viúva do meu avô que era orquidófilo - dono dessa plantaiada toda]





Aqui, mais um "rango" desses que fiz pro jantar.
São rodelinhas de berinjela japonesa à milanesa.
Muito boas acompanhadas de molho inglês, mostarda, molho de alho ou maionese.
;)
Crocantes por fora. Macias por dentro. Hummm...



Resolvi experimentar esse tempero.
Parece ser aqueles comuns caldos de carne, mas o "tijolinho" esfarela fácil e rapidinho se dissolveu no molho da macarronada que fiz.
A foto da macarronada tá na sequência.


E aqui, mais outro "rango".
Macarronada com molho de tomate com carne moída e bacon.
Joinha.
Fato: Sim, isso é meio quilo de macarronada. A cambada aqui come como condenados à passar o resto da vida na seca do sertão.
Mas como já twittei hoje:
meu "coleguinha de facu" Ivan me disse ontem que eu gasto todas minhas milhares de calorias ingeridas durante o dia só pensando. #apensadora
Fora isso, só correria.
Correria naquelas... Muita coisa pra fazer, mas eu com preguiça excessiva.
Mas eu sempre sobrevivo. Entrego tudo dentro dos prazos [algumas coisas até bem antes] Acho que só esqueço dos livros da biblioteca. E me fu... com isso.
É que estou acostumada a ter meus livros. Quando pego emprestado da biblioteca da faculdade, acabo esquecendo. Sempre lembro de "tenho que ler aquele capítulo" mas esqueço de "tenho que devolver o livro antes do dia da aula que vou precisá-lo"... Kkkk...

Como um termo pode ser tão indevido e duplo sentido:
"Saudade da porra" do meu namorado
Entenda: "saudade da porra" é apenas uma gíria para demonstrar intensidade. É como "gostar pra caralho" de alguma coisa ou não fazer algo "nem fudendo". Não interprete literalmente. Se bem que é possível... [ops! falei...]

Bom... depois do #mimimi e do #blablabla... vou fazer alguma coisa útil.
NOT!