7 de dez de 2011

Daquelas coisas estranhas

Nesta última noite, sonhei.
Mas digo isso porque fazia um tempo que não sonhava nada.
Dormia pelo cansaço e acordava cansada...
Então esta noite dormi e sonhei.
Um sonho estranho. Estranho porque lembro dele com tantos detalhes...

Estava eu em uma estação ferroviária estranha. Pequena.
Alguém tentou roubar minha mochila. Mas estranhamente ela foi encontrada em um canto. Só faltava a carteira. A minha carteira foi largada em cima de uma cadeira da estação. Todo dinheiro estava lá. Tudo ok. Levaram só o cartão telefônico. Vai entender...
E peguei um trem onde havia um senhor, escritor, que estava autografando seus livros em um dos vagões que tinha uma velha geladeira, paredes de madeira rústica como um barraco e muitas pessoas se ajuntando para pegar seu autógrafo.
Passei sem dar muita atenção a ele e fui até a janela do vagão. Fiquei observando a paisagem passar lentamente, de casas velhas já em decomposição.Um cenário cinzento, meio pós-apocalíptico.
O trem parou. Desci. Entrei em um shopping.
Desci as escadas rolantes e saí do shopping.
Havia decoração de Natal por todos os lados.
O shopping tinha vidros espelhados azuis por toda fachada.
Peguei uma rua aos fundos do shopping e, caminhando, percebi que a rua não tinha saída. Ou melhor, não tinha nada na rua. Era só parede.
Ao me virar para começar a retornar, avistei algo surreal: além da vista do shopping, algo atrás me chamou a atenção. Era um castelo, no alto de uma colina. Uma réplica de Hogwarts. o_O
Neste instante um garoto passa por mim vestido de bruxinho da Grifinória [hahahaha] e me oferece caramelos. Recusei.
Uma senhora insiste em querer minha mochila e entra em uma casa, como se tivesse ido buscar algo para me agredir.
Começo a correr, mas minhas calças insistem em cair. Onde está meu cinto? Hahahahah...

Acordei aí.

Ao menos, fiquei com minha mochila, minhas calças e só perdi o cartão telefônico.
Bom... na realidade, ainda tenho o cartão telefônico, então... Vai saber...