30 de abr de 2004

Um desabafo. E um livro lido.

Nossa!
Faz tanto tempo que não escrevo nada de mais descente por aqui, não é mesmo?
A verdade é que ando sem cabeça pra tudo...
Essa coisa de ficar sem emprego por muito tempo deixa a gente maluca...
Já estou pensando em voltar a estudar qualquer coisa que apareça pela frente... Talvez Turismo...
Ando enlouquecendo ficando entre quatro paredes, sete dias por semana...
A TV não me interessa com suas reprises, o rádio parece não ter novidades, a internet anda cheia de bobagens...
A cozinha não tem mais pratos novos... O quarto está numa bagunça que não tomo coragem para enfrentá-la...
Enfim, tudo um grande saco!
Tou ficando tediosa e sem perspectiva alguma. Uma chata. Uma louca.
Preciso trabalhar. Nem que seja de graça.
Não é possível que alguém que saiba tanta coisa não faça algo...
- filmo
- edito
- faço roteiros
- fotografo
- escrevo colaborações musicais
- faço sites
- faço artesanato (origami, ponto cruz, pintura, bijuterias, decoupage, scrapbook...)
- cozinho
- lavo e passo roupa
Pô, sou independente! Mas mesmo assim, sem um centavo no bolso. Sou japa de família pobre.
Por parte de pai, meu avô era orquidófilo (morreu um ano antes de eu nascer...) e a avó costureira.
Por parte de mãe, meu avô era da roça (plantava batatinha, melancia...) depois foi motorista de ônibus e se aposentou, e a avó era costureira também.
Meu pai não tem estudo. Trabalha sem registro como técnico em informática.
Minha mãe é formada em técnico em contabilidade, e há mais de 30 anos não trabalha na área. Só bicos aqui e ali, sempre ligados à prestação de serviços para portadores de deficiência.
Atualmente está trabalhando como professora de bijuterias para um órgão estadual. (não vê nunca a cor do salário miséria...)
Tenho uma irmã de 29 anos com deficiência mental e auditiva.(precisa falar mais alguma coisa?)
Tenho um irmão de 25 anos que é um grande irmão. Até na ignorância. Detesta estudar e está feliz em trabalhar com um tio falido em uma metalúrgica de fundo de quintal sem ganhar nada além de alguns machucados nas mãos e dores nas costas de tanto carregar equipamentos pesados...
Tou com 23 anos e tudo o que tenho é uma formação em auxiliar em manutenção em telecomunicações. E detesto trabalhar nessa área. (foi por isso que tou desempregada...)
Importante dizer que não é que não gosto. Detesto.
Que faço meu Deus, antes de enlouquecer completamente?
a) Pulo de bungeejump sem elástico?
b) Pulo de pára-quedas sem pára-quedas?
c) Pulo da janela do meu quarto? (moro em um sobrado)
d) Dou a bunda e fico sendo a ninfetinha nipônica mais rica da cidade?
e) Como diria meu amigo Rednuht, como um frango assado e fico feliz?
Mande sua resposta para lucianaueda@yahoo.com
Ficarei feliz com sua infeliz opinião.
Juro que não sou materialista. Mas é impossível se viver dignamente no Brasil sem dinheiro algum.

Ah, só lembrando, faz tempo que não leio algum livro legal...
Lido:

- Ciranda de pedra, de Lygia Fagundes Telles. De tão bom, li em uma tacada só. Nem precisei de marcador de página.

18 de abr de 2004

horoscopiando

Peixes (19/02 a 19/03) por Amanda Costa
Domingo, 18 de abril de 2004


Nada disso, amigo peixe, só porque a grana anda curta não é motivo para afundar seus sonhos. Você tem o mar, o céu, o carinho de astros e estrelas que povoam sua vida. Daqui a pouco a maré muda. Você dá rabanadas, faz o maior drama, mas sempre dá um jeito em suas contas. Pegue sua bússola e se oriente, mantenha o foco em seu propósito maior.