17 de dez de 2005

Corre! Corre! Corre, que o ano já está acabando!

É... Nem parece, mas já é isso mesmo...
O ano está acabando...
Faltam menos de 15 dias...
E o que estou fazendo???

Nada.

Nada?
Isso é possível???

Claro que não!

Estou lendo:
- Arquivo Duchovny - Uma biografia não autorizada de David Duchovny, o Fox Mulder de Arquivo X.
- Pais Brilhantes, Professores Fascinantes - de Augusto Cury, que até agora, me parece ser um livro muito bom.

Lido:
- Um gibi da Mônica - repare que não li muita coisa...

Estou ouvindo:
- Muita música, rádio, CDs, MP3s, K7s... Só não estou ouvindo LPs porque estou sem vitrola...

Estou escrevendo:
- Muitas cartas e enviando muitos postais para meus correspondentes, afinal, tá chegando o Natal!!!
- Muitos formulários de currículos...

Estou precisando:
- Dormir na hora certa (são mais de 2h da madruga e eu ainda estou aqui enrolando...)
- Dar um looooooongo abraço.
- Dar um looooooongo beijo. Hummm... um, não! Váááários. - Só meu mino fazer o favor de encontrar comigo...
- De dinheiro! (quem não precisa???)
- De tanta coisa...

Bem, até agora ainda não entendi ao certo se foi apenas uma ficada ou se a coisa vai em frente, mas o certo é que não estou afim de ficar viajando na maionese e inflacionando um relacionamento que nem sei se existe...
Voltei a ficar com o Juliano. E daí? E agora?
Não sei.
Ainda não falei com ele a respeito deste ponto de vista.
Também não pretendo ficar pressionando ninguém.
Vou vivendo como sempre vivi.

Não é porque andei surtando nos últimos meses, que vou dar chilique...
Certamente estou impaciente.

Gostaria que a vida ficasse ao menos com um clima mais leve.
Anda tudo pesado, lento, demorado, com cara de que tudo é cinzento, chato...
É a cara da depressão que não quer ir embora...
Os problemas passaram, a dor de cabeça continua, a falta de apetite, a insônia, a tristeza, as lágrimas... não sei porque não se vão quando deveria estar alegre, plena, cheia de felicidade por ter completado mais uma etapa da minha vida, tendo um fim de ano maravilhoso, cheio de mordomias, trabalhando onde gosto, tendo amigos maravilhosos que sempre tive e pude contar com eles pra todas horas...
Mas mesmo assim, estou deprimida.
O mais triste não é chegar à noite e não querer dormir e ficar chorando aqui na frente do computador. É não ter motivos pra chorar e mesmo assim se sentir triste.

Acho que vou ralar cebola pra não desperdiçar as lágrimas...

Mas vocês vão ver!
Me aguardem!

Ano que vem, vou dar uma arrancada. Vou sair correndo, voando, superando todos os limites que eu havia chegado e irei muito mais além.
É hora de recomeçar.
O mundo é todo meu. Sempre foi. Sempre será.
E quem quiser me acompanhar nesta viagem sem volta, é só me dar a mão.
Estarei sempre aqui: bem perto dos amigos, bem longe da solidão.

Ju, nem sei se vai ler isso, mas saiba que tu moras em meu coração.
E como morador desta hotel sem eira nem beira, onde tem gente por todos os cantos (e haja canto pra caber tanta gente...), saiba que está reservado pra você a suíte presidencial... Pode pedir café da manhã na cama, o que quiser, que tá tudo na minha conta. Só não vale abusar...
Desejarei por toda minha vida que você seja feliz sempre, todos os dias.
Independente de estar ou não comigo.
Você merece.
Grande beijo da sua Lu.

Boa noite a todos.