20 de dez de 2008

Sorria. Podia ser muito pior...

Taí um dia que tudo deu errado...
Tá... quase tudo.

Marquei de encontrar o Alan na Av. Paulista.
Primeiro, saí atrasada.
Segundo, com a mãe a tiracolo.

Chego na Paulista. Cadê Alan? Atrasado.
Ainda no trampo.
Nesse meio tempo, discuto com minha mãe.
Paciência zero (e nem de tpm estou...).
Mando ela pastar em outro lugar...
Aí já viu... Uma pra cada lado da Paulista. Fico puta da vida e vou pra Augusta. O que não é lá muito bom... (puta e Augusta combinam...kkk).
Entro no McDonald's da Augusta com Al. Santos.
Ninguém no caixa.
Meio século depois, alguém aparece.
Mais meio século depois, meu lanche é servido.
Me enfurno em uma mesa no segundo andar com vista pro cruzamento.
Tento não ficar mais impaciente do que já estava (fervendo...).
Mil mensagens pro Alan depois... e ele ainda na Raposo Tavares...
Tudo passou a me incomodar.
O vai e vem das pessoas. As risadas. O cara falando alto no celular. As pessoas que pegavam catchup e mostarda na mesinha ao meu lado...
Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!!!
Saí de lá e voltei pra livraria Cultura.
Mais meio século depois o Alan aparece.
Procuramos os livros que ele pretendia comprar pra amigo-secreto. Nada.
Bora pra Fnac.
Lá tinha. Os olhos da cara.
Opção número 2. Ver DVDs. Ok. Muito mais em conta.
Fila enorme pra pagar.
Fila pra embrulhar pra presente.
Eu já com vontade de mandar tudo pra PQP.
Só mais um pouquinho de paciência, Luciana...
Fomos pra Starbucks tomar capuccino, comer pão de queijo.
Fui duas vezes no banheiro masculino (o feminino tá em manutenção).
Foi surgindo a vontade de chamar o "hugo" e meu humor foi ficando pior.
Nossa conversa só ia pros problemas.
Vem a chuva.
:(
Mais dois séculos esperando a chuva passar pra poder sair.
Passada a chuva, lá vamos nós nos aventurarmos na Paulista.
Vamos em direção do Banco Real e Bradesco. Do outro lado da avenida.
Fotos. Fotos. Fotos.
Um cara passa de bicicleta e rouba a camera do Alan.
Já era.
O Alan ainda corre atrás do cara umas duas quadras.
Meu humor já foi pro saco. Minha paciência esgotou. Meu estômago revira.
"Pára tudo que eu quero descer!!!"
Passamos no posto policial do outro lado da rua. O policial diz: "foi do outro lado da rua? então a ocorrência deve ser registrada em outro posto policial. a gente só responde por essa quadra aqui..."
Olha onde foi parar minha paciência...
Calma... a noite ainda não terminou e eu fui pra Paulista pra me divertir na baladinha Silent Disco no Parque Trianon...
Entro no parque e... Fila quilométrica pra entrar na baladinha!!!
Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!!! Chega!
Só quero ir pra casa.
O "hugo" pedindo pra ser chamado...
Chego no metrô Consolação... Resolvo ir até o Center 3 pra um último "pit stop" por lá.
Bati o cartão e fui embora.
Cheguei na Parada Inglesa e todos os semáforos do bairro estão apagados.
Imagine atravessar uma avenida sem semáforo pra parar os carros...
Eu já pensando "Please! Que este seja o último desafio do dia..."
Cheguei em casa sã e salva. Nem tão sã assim... Mas "I will survive"...

Nenhum comentário: