21 de jul de 2013

Uma deprê e muita leitura

Tenho sido ausente no meu blog por diversos fatores e um deles é minha depressão. Passei a postar mais fotos no Instagram e eventualmente twittar, mas pouco tenho escrito sobre minha vidinha a quem vem no blog... Tenho tomado remédios pra melhorar e não tenho tido bons resultados. Ou ando muito deprimida e os remédios mal fazem cócegas, ou não fazem efeito algum e só estou me ferrando. Meu dia a dia sempre foi tedioso. Não me lembro de algum momento que eu diga que era feliz e não sabia. Hoje tenho um bom trabalho, estou aí terminando uma pós graduação, tenho ótimos amigos... mas não encontro alegria em viver. Ultimamente tenho acordado pra chorar, não pra viver. E isso é incontrolável. Tem dias que acordo super animada com os planos que fiz para realizar no dia e choro de uma tristeza profunda e de um vazio que parece querer me implodir com um buraco negro emocional em meu peito. Os pequenos problemas se tornam gigantescos. O que era rotina parece querer me impedir de seguir em frente. Morrer é um pensamento constante. Mas acredito que tem muito idiota pra morrer nesse mundo antes de mim. Não posso ter estudado tanto pra morrer gratuitamente por motivos egoístas. Quero fazer diferença nesse mundo. Preciso. Mas parece que sempre estou à sombra de algo tão grande, mas tão grande, que não consigo nunca chegar ao sol... Tudo está sempre num clima da cinzento. Sem graça. Meus talentos e meu brilho pessoal se tornam ofuscados, opacos, impossíveis de serem vistos nessa neblina densa. É como querer imaginar o horizonte sem conseguir enxergar um palmo à frente. Isso desanima. É estranho quando a gente fica um dia triste, filosofando consigo mesmo... É decadente quando isso acontece todos os dias e a vida passa por nós sem termos aproveitado um pouco que seja dela... Pra não ficar pensando na minha morte, fico lendo livros pra minha monografia da pós... O literal "cabeça vazia é a casa do diabo"... Marco compromissos que me tirem da cama no fim de semana. Sair pode ser caro, me faz perder um tempo danado que poderia dedicar a alguns trabalhos, mas se tornaram vitais para que eu não me afunde nessa areia movediça chamada cama da depressão... É engraçado e estranho ao mesmo tempo ver que eu fico me sabotando e instigando ao mesmo tempo. É estar se atolando e ao mesmo tempo querer voar. É querer pôr fim em uma vida e fazer planos como viajar com amigos, fazer outra graduação, sondar outros empregos, começar uma coleção de carrinhos... Ou ando muito doida, ou isso só é possível se eu fizer tudo como um zumbi ou alma penada, porque tudo junto ao mesmo tempo, não vai rolar. .. hiahsuahushauahs... Bom... volto a escrever em breve. Já que não vou morrer tão cedo. Obs... Ainda preciso escalar o Pico da Neblina e visitar o Chile e boa parte da Europa. Por isso que não dá pra morrer agora... =/

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu estou neste mesmo naipe que você esteve quando escreveu tudo isto. A diferença é que não tenho muitos amigos, um bom trabalho e muito menos uma faculdade bem começada. É um caso pior. Por bem, não penso em morte, depressão, choro... Mas, talvez, faço pior que isto. Eu me distraio e deixo o tempo passar. Vagando, monótono e indiferente. Fazendo aquilo que me programe a fazer em um dia passado que levantei prae mexer. Mas me mexer pra construir algo daqui pra frente é tão desmotivado agora. Uma vez que sinto que tudo já está uma merda e "já era!". Olha só?! Eu! 20 anos e jogando tudo pro alto. Sou muito burro! Me sinto mal! Quando que eu comecei a ser isto que sou hoje? Eu até que faço ideia, mas porra. Meu mundo parou e o dela continuou, pior (melhor), melhorou.

Não sei de onde veio sua energia e motivação pra hoje estar melhor, mas eu espero encontrar a minha também Ueda.

Ass.: Ap